Este shortlist foi feito pelo próprio Ruy, levando em conta não apenas a importância das peças mas também a história por trás delas. Aproveite.

Meu caro Pedro.

Aproveitei o domingo para atender o seu pedido e tentar recordar de alguns textos que tenha feito e que você poderia aproveitar. [...] Acho que tão importante como a peça, é uma pequena explicação sobre a origem dela, pois assim as pessoas entendem em que situação ela foi feita e em função de que necessidades. Então vamos lá:

Meu primeiro carro foi um Estrela.
Minha primeira boneca foi uma Estrela.

Na época a DPZ tinha a conta da Estrela e era véspera do Dia da Criança. Conversando como Rodolfo Vanni, meu dupla, nós descobrimos que todos os homens da criação tiveram um carrinho Estrela na sua infância e as meninas, uma boneca. Então criamos dois anúncios, um para cada tema. No da boneca quem posa na foto é a Helga Mitke que na época era Diretora de Arte da DPZ e no do carrinho, o Alfredo Carmo, que sabia tudo sobre pesquisa. Anúncio criado, aprovado e produzido em tempo recorde.
— Ruy
Meu primeiro carro foi um Estrela
Minha primeira boneca foi da Estrela
 
Yukon Jack, o ovelha negra dos whiskies

Esta é uma campanha com 5 anúncios que também está nos anuários. Yukon Jack é um burbon, ou seja, um whisky americano. Nós o posicionamos como “ A ovelha negra dos whiskies” e o botamos para brigar com o whisky tradicional, já que é um produto premium. Tanto que um dos anúncio termina assim: ‘Se você abrir um Yukon Jack e ouvir gaiteiros tocando, não beba: é falsificado’. Mééééeéé……
— Ruy
Yukon Jack 1
Yukon Jack 2
Yukon Jack 3
Yukon Jack 4
Yukon Jack 5
 
Quebrou o Petronio. Golden Cross.

Todo mundo conhece a história de um parente que ficou doente e gastou todo dinheiro em médico e hospital e ainda levou junto algum parente. A idéia do filme era justamente usar a leveza do humor para mostrar a dramaticidade da situação. Eu usei nomes próprios como Petronio, Policarpo, Ilídio que lembram a anatomia humana para dar mais graça. Acho que o texto do filme é um exemplo de uma história bem contada em 30 segundos.
— Ruy
 
A Infiel. O Jogador.

São dois anúncios da Golden Cross. Foram criados para o jornal A Gazeta Mercantil, por isso têm textos maiores, mais reflexivos.
— Ruy
Golden Cross 1
Golden Cross 2
 
Faça como o Estadão, leia a Folha.

Eu trabalhava na W/Brasil e nesta época o Estadão seguidamente imitava a Folha. O Washington queria fazer um anúncio que deixasse isso claro. Nós conversamos um pouco, fui para a minha mesa, escrevi o texto, ele aprovou com o cliente por telefone, o Kélio Rodrigues produziu e quando saí da agência tarde da noite passei na banca, comprei o jornal e ali estava o anúncio que tinhamos feito naquela tarde.
— Ruy
Folha de São Paulo
 
Visa. Tributo ao Tempo.

Na Leo Burnett nós tínhamos a conta de Visa e durante alguns anos trabalhamos na campanha ‘Porque a vida é agora’, uma campanha internacional. Mas eu achava que o tema não tinha sido compreendido claramente pelo grande público e resolvi fazer um filme onde o texto do filme deixava isso mais claro. Aí criei o filme “Tributo ao Tempo” que foi ao ar em fevereiro de 2004. Na semana seguinte estou numa padaria e vejo a Ana Maria Braga lendo o texto como se fosse uma poesia. O texto começou a circular pela internet e as pessoas se apropriaram dele. Jogaram foram o nome do anunciante, esqueceram que era uma propaganda, começaram reproduzí-lo na íntegra, a alterar algumas partes, a usar como mensagem de auto-ajuda, em blogs, convenções, igrejas, etc. Da mesma fora eliminaram o nome do anunciante fizeram o mesmo com Ruy Lindenberg, nome que não dizia nada e começaram a atribuir ao Dalai Lama, ao Oxo e assim por diante. Hoje, 10 anos depois do filme ter ido para o ar, você encontra toda semana novas citações do texto na internet. E dizem que a palavra nestes tempos de internet está morrendo, hein?
— Ruy

Dizem que a vida é curta, mas isso não é verdade. A vida é longa para quem consegue viver pequenas felicidades. E essa tal de felicidade anda por aí disfarçada, como uma criança traquina brincando de esconde-esconde. Infelizmente às vezes não percebemos isso e passamos a nossa existência colecionando “nãos”. A viagem que não fizemos. O presente que não demos. A festa a qual não fomos.
A vida é mais emocionante quando se é ator e não espectador. Quando se é piloto e não passageiro. Pássaro e não paisagem. E como ela feita de instantes, não pode nem deve ser medida em anos ou meses. Mas em minutos e segundos. O que você vai fazer com cada minuto de 2004?

Visa. Porque a vida é agora.

 
“Tem gente achando que você é analfabeto, e você nem desconfia.

Bem, este texto você tem o livro e já contamos a história dele.
— Ruy

PS. Esse anúncio foi criado depois que o Jornal Valor Econômico, em parceria com o Clube de Criação de São Paulo, cedeu uma página do seu jornal para que diversos criativos criassem anúncios, fictícios ou não, para provar a eficácia da criatividade e do meio jornal. Após ser publicado, o anúncio recebeu tantos feedbacks que eles foram compilados e editados em um livro. - O anúncio que virou livro.

Se você quer muito uma cópia desse item histórico da propaganda brasileira, dá para comprar aqui ou aqui

Analfabeto
 
Pedro, eu não conhecia o blog que você mandou e me ajudou a lembrar de várias coisas que já tinha esquecido[...] acho que tem 4 peças que valem alguns comentários.

PS. Trata-se do link que enviei para ele do Blog Puta Sacada, que fez uma homenagem ao Ruy Lindenberg. Ele me retornou comentando as peças publicadas por lá.

Tigre MDB

O anúncio dos tubos e conexões Tigre tem um motivo claro. Os candidatos costumam prometer redes de água e esgoto nas campanhas mas quando estão no cargo fazem pontes e viadutos já que são obras que não ficam escondidas embaixo da terra. Portanto esta foi uma maneira de chamarmos a atenção dos eleitores para isso e cobrarem os eleitos depois. Muito do mérito deste anúncio se deve ao Caldeira que era o diretor de marketing que teve a coragem de botar o anúncio na Veja.
— Ruy
Tigre
 
Folha dia do Trabalho

O anúncio do Dia do Trabalho corria o risco de cair em alguma pieguice sobre a data numa época na qual o desemprego era grande. Portanto insisitimos junto a Folha de S. Paulo que fosse feita uma pesquisa e tivessemos no anúncios vagas de emprego de verdade que poderiam ser preenchidas por quem lesse o anúncio.
— Ruy
Classifolha
 
Durfee Hall

O anúncio do Durfee Hall (um whisky sofisticado) conta a história do homem que começa bebendo leite, passa por refrigerantes, bebidas de uma maneira geral e a medida que se sofistica vai para um scotch. Acho que a Heublein, na pessoa do seu presidente Eduardo Novogrebelski na época, foi muito corajosa em aprovar que colocássmos uma mamadeira ao lado de uma garrafa de whisky.
— Ruy
Durfee Hall
 
Golden Cross Céu

O anúncio que fala que o fulano morreu, foi para o céu e voltou são e salvo vende o serviço de ambulância aérea que na época a Golden Cross estava lançando e era novidade no país.
— Ruy
Golden Cross
 
Pedro, outro dia um amigo que tem um Café pediu que eu escrevesse algo chamando atenção dos clientes para respeitarem o espaço do café e não abusarem dos celulares, notebooks, etc. Fiz um texto que depois postei no Linkedin e teve uma repercussão bastante grande. Reproduzo abaixo
— Ruy

Carta de boas-vindas do nosso Café.

Se você for assistir videos no seu computador, por favor, use o fone de ouvido. Assim você pode ouvir o Porta dos Fundos a todo volume e rir a vontade do corno citado sem que o corno da mesa ao lado se sinta incomodado e venha reclamar com o corno do nosso gerente.

Aqui tem wi-fi, água e café, mas não é seu escritório.

Agora que você se livrou do seu chefe não traga para nós sua reunião com os vendedores ou a discussão com a patroa pelo celular. 

Concordamos: o brasileiro é cordial, alegre e generoso. Principalmente generoso com ele mesmo. Por isso divida sua mesa com outras pessoas ao invés de se esparramar por vários lugares como se você fosse o preferido do Papai do Céu. 

Nós não cobramos pelo wi-fi pois vivemos de vender sanduiche, café, pão na chapa e pão de queijo. É desta forma que remuneramos nossos funcionários. Portanto não se alimente só das bobagens que encontrar nas redes sociais. 

Por mais espirituoso que você seja, não desperdice seu talento em voz alta com ouvintes desatentos, gente que só quer tomar um café, enviar um e-mail e trabalhar algumas horas em paz.

 

Contamos com a sua colaboração.

Atenciosamente,

O corno do Gerente.